sábado, 8 de outubro de 2011

"Antônio João teve ato abusivo e ilegal num gesto de exploração aos servidores", diz, em sentença, juiz de Lajedo


A foto acima, é de partir o coração. Mostra um gesto desumano de alguém que explora a condição de subserviência do seu próximo. Mas o prefeito de Lajedo, que quer ser prefeito de Garanhuns, é bem parecido.
Dourado assinou um ofício  aumentando a carga horária dos servidores concursados e contratados, num flagrante desrespeito ao Estatuto do Servidor, aprovado pela Câmara Municipal. O estatuto prevê que a carga horário dos servidores da educação, por exemplo, é de 6 horas diárias e 30 semanais. Pois bem, Antônio João mandou aumentar essa carga para 8 horas diárias e 40 semanais. Em alguns casos os funcionários foram obrigados a trabalhar nos sábados pela manhã, chegando a uma carga horária de 44 horas semanais. Tudo isso sem aumentar um centavo sequer no salário do servidor.
O sindicato dos funcionários municipais entrou na Justiça contra o gesto autoritário de Antônio João. Veja o que disse o juiz Cristiano Henrique de Freitas Araújo, numa das ações que foram impetradas:
... as autoridades apontadas como coatoras (Antônio João Dourado e a secretária de educação Maria Emília Camurça – o grifo é nosso) quando fizeram expedir o ofício circular 004/10, pois desprovido de qualquer fundamentação jurídica e legal, submeteram servidores a uma carga horária de trabalho excessiva e injusta ...”
Na mesma sentença, o juiz disse entender que o ofício circular 004/2010, onde consta a ordem de Antônio João Dourado  “é abusivo e ilegal”.

Garanhuns não precisa de prefeito que explora servidores e que tem gestos abusivos e ilegais.

No vídeo abaixo, você pode ver como pegar um político na mentira:

Em entrevista à Rádio Marano, no último sábado, o prefeito de Lajedo disse que trata bem o servidor. Mas, como já vimos, a justiça disse outra coisa.

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem comenta com responsabilidade, alimenta a democracia!